Então, vamos falar de dieta? Calma, não me contradigo no que diz respeito à proposta do programa Pensar Magro, não mesmo!

 

Na busca da boa forma, não se escuta outra palavra, mas você sabe o que está pequena palavra significa? A palavra “dieta” tem origem no latim, derivada da palavra grega “díaita”, que significa “modo de vida” e não se limita a “modo de comer”. É isso mesmo, precisamos entender que comer é apenas um dos elementos desse modo de viver e não está à parte dos princípios humanos, trata-se de uma característica essencial de nossa existência.

Não obstante, através deste “comer” podemos contar a história da humanidade, sem pão não sobrevivemos, mas “nem só de pão vive o homem”. Aprendemos a não questionar aquilo que ofertamos para nós mesmos, se estamos oferecendo demais ou de menos, qual a origem do que ingerimos e que tipo de combustível estamos usando para alimentar nossa máquina. O que assombra frente a está colocação é que vivemos em um mundo onde se “duvida da própria sombra”, mas com o alimento parece estarmos cegos e nos tornamos omissos frente aos sabores e prazeres proporcionados por esse. Neste sentido, nos afastamos muito das Díaita dos gregos, e a reduzimos em “Dieta da sopa”, “Dieta da proteína”, “Dieta do Dr. Fulano”, “Dieta das cores”.

 

A dieta dos gregos perpassava pela alimentação, no entanto, incluía a busca pela espiritualidade, a ética, o relacionamento com as pessoas, com a família e os exercícios físicos. A ideia de um todo formado a partir das partes deste todo, um organismo integral que vive para além do comer.

 

Desta maneira, a busca pela dieta não era para emagrecer e sim para ter qualidade de viva e bem estar, alguma coisa que se faz para viver melhor, sendo assim, um estilo de vida seguido até os últimos dias, não somente por um determinado período – quando você deseja emagrecer. O simples “modo de comer”, se faz complexo, ele diz muito de como nos colocamos no mundo, que tipo de alianças fazemos, que tipo de associações, conscientes ou não, estamos fazendo etc.

 

Por fim, fica a questão – a “dieta” da atualidade não está se tornando a miopia que embaça a clareza necessária sobre nós mesmos, impedindo de enxergar as interfaces ou o emaranhando de relações entre todas as coisas ditas aqui?

 

Te convido a fazer Díaita grega, a se tornar melhor todos os dias, por toda a vida!!

Deanne de Freitas